A regeneração do planeta Terra e a nossa evolução

Muito se tem falado sobre o estado evolutivo de nosso planeta e de seus habitantes. Hoje, a Terra é classificada como um planeta de provas e expiações, e está na iminência de transformar-se em um mundo de regeneração.

É a evolução que ocorre dentre os mundos habitados, que são:

Mundos primitivos

Destinados às primeiras encarnações humanas, nesses mundos a vida é toda material, se limita à luta pela subsistência. O senso moral é quase nulo e, por isso mesmo, as paixões reinam soberanas. A Terra já passou por esta fase.

Mundos de provas e expiação

Nesses mundos o mal predomina. É a atual situação da Terra, razão pela qual vive o homem a braços com tantas misérias.

Mundos de regeneração

São mundos em que os homens ainda têm o que expiar, mas haurem novas forças, repousando das fadigas da luta. Os mundos regeneradores servem de transição entre os mundos de expiação e os mundos felizes.

Mundos ditosos ou felizes

São os planetas onde o bem sobrepuja o mal e, por isso, a felicidade impera.

Mundos celestes ou divinos

São as habitações de espíritos depurados, onde exclusivamente reina o bem, visto que todos que aí vivem já alcançaram o cume da sabedoria e da bondade.

 

Regeneração do planeta Terra

Nos dias de hoje, moralmente, vivemos em um mundo no qual o mal ainda predomina, mas que está em transição e passará para um mundo no qual ainda se estará sujeito a leis materiais, mas a evolução já se mostra através da inexistência de paixões desordenadas, da efetiva disposição ao bem, da aurora da felicidade.

Mas devemos entender que o estágio de regeneração de um mundo é muito diferente do que ele já ser um mundo regenerado. No estágio da regeneração, a humanidade e os espíritos que o povoam estarão efetivamente empenhados na evolução.

Kardec, no livro A Gênese, dispõe que para que os homens sejam felizes sobre a Terra é necessário que ela seja povoada apenas por bons espíritos, encarnados e desencarnados. Vejam que não é só o mundo material que se transforma, evolui, também o mundo espiritual tem que passar por uma renovação.

Neste sentido, se proclama que quando chegar o momento, e isso já tem acontecido, haverá grande emigração, ou seja, espíritos retardatários, rebeldes, cristalizados no mal, não mais conseguirão reencarnar no planeta Terra, assim serão direcionados a outros planos, conforme sua condição evolutiva.

Sementes da nova geração que irá habitar a Terra já estão encarnando – trazem novas ideias, novos pensamentos, novos propósitos – e vejam que não necessariamente esses espíritos reencarnam na doutrina espírita. Nas mais diversas culturas, nos mais diversos países, em todas as raças, teremos novos exemplos.

Comparados à Terra, os mundos de regeneração são de fato felizes, e ocupar um mundo como esses é resultado da evolução espiritual. Todos devemos querer isso e, assim, nos motivarmos e esforçarmos para tanto. Muitos são os chamados, mas poucos são aqueles que atendem o chamamento.

 

A evolução de cada um

Pergunto a cada um se já se deu conta de que é parte ativa neste processo evolutivo.

O que cada um tem feito, ou está pensando em fazer, para ser hábil a esse novo mundo?

Tenho certeza de que todos querem evoluir juntamente com o planeta, tendo a chance de novas encarnações neste novo mundo de regeneração, mas o que de fato estamos fazendo para isso?

Para que possamos pensar e de fato nos aplicarmos para tanto, recordo as palavras do mestre Jesus:

“Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta da perdição e espaçoso o caminho que a ela conduz, e muitos são os que por ela entram. – Quão pequena é a porta da vida! Quão apertado o caminho que a ela conduz! E quão poucos a encontram.” (Mateus,7, 13 e 14)

E daí devemos assimilar que estreita é a porta que separa o mundo de provas e expiações do mundo de regeneração. Temos que ser hábeis a ultrapassá-la para evoluirmos.

Dúvidas não temos do quanto Deus é sempre justo e bom. Com essa confiança, cumprindo com os nossos deveres, cumprindo as provas que assuminos no plano espiritual à nossa evolução, sacrificando os nossos vícios e paixões negativas, certamente seremos hábeis o bastante a ultrapassá-la.

E como conseguimos fazer tudo isso?

Seguindo os ensinamentos do mestre Jesus.

 E para nos fortalecermos nesta caminhada, saibamos que a felicidade é a regra, e só aqueles que se afastam do caminho do bem é que são infelizes.

Assim, compete a nós nos esforçarmos para vencermos as más paixões, ou seja, a ira, o orgulho, a inveja, o egoísmo, o ciúme, a gula, dentre outros hábitos e sentimentos infelizes, e mais, nos esforçarmos para enxergar todas as possibilidades de bem agirmos.

Como no nosso meio profisional, sendo bons profissionais, honestos, competentes; também no meio familiar, exercendo de forma ativa, dedicada, o papel de pai ou mãe, ou como filho/neto, sendo respeitoso, obediente; no meio acadêmico, sendo alunos estudiosos, respeitosos; no meio social, primando por boas amizades, sendo atenciosos, honestos.

A evolução é um processo gradativo, embora possa ser acelerado enormemente pela vontade.

Sobre o tema regeneração, vamos ver uma mensagem do livro Convites da Vida, de Divaldo Pereira Franco, pelo espírito Joanna de Ângelis Leal:

 

“Convite à Regeneração

Não amanhã ou mais tarde.

Programas adiados, dificuldades aumentadas.

Ação imediata, oportuna, produz resultados abençoados, surpreendentes.

Como se faz indispensável pensar a fim de tomar decisões felizes, a ponderação em exagero resulta em prejuízo para a oportunidade melhor.

Por isso mesmo, a obra em prol da regeneração da Terra deve ter início no próprio homem, imediatamente.

Partindo das pequenas e insignificantes falhas do caráter, da personalidade, fixar-se-ão diretrizes de robustez para as decisões e atitudes mais expressivas nos meandros do espírito atribulado.

Não se faz preciso que de um só golpe se intente a regeneração, pois que tal labor seria muito difícil, não, todavia, impossível.

Todos trazemos das vidas pretéritas condicionamentos que se traduzem por deficiências mui marcantes, quando não se fazem impositivos fortes, refletindo os gravames a que nos ligamos, por insensatez ou desequilíbrio.

Tendências e desejos resultam do cultivo de tais ou quais aptidões morais a que nos entregamos nas reencarnações anteriores.

Reorganiza, desse modo, a paisagem espiritual, sob a ação evangélica, clarificando o báratro íntimo que te atormenta com a lâmpada do conhecimento espírita. Impostergável dever para a obra regenerativa, que poderá conduzir-te com segurança à rota da harmonia, deve merecer carinho imediato.

Se não parece lícito intentar de um para outro momento a tarefa de transformação interior, não é, igualmente, justificável adiar para depois o que podes produzir de imediato.

Toda aquisição se converte em patrimônio inalienável, que não convém ser desprezado.

Jesus, ensinando sabedoria e vivendo-a, conclamou a todos que Lhe recebiam a diretriz de segurança: ‘Vai em paz e não tornes a pecar para que te não aconteça algo pior.’

Os Seus convites foram sempre incisivos e concisos, refletindo um tempo único para a ação regenerativa: agora!

Hoje, portanto, fulgura tua oportunidade abençoada de regeneração espiritual. Inicia-a e avança na direção do sem fim da perfeição que pretendes atingir, tornando-te “imitador de Deus como filho bem-amado.”

 

E assim, que não amanhã, mas ainda hoje, assimilemos o quanto devemos e podemos fazer melhor para evoluirmos, acompanhando a evolução do planeta Terra.

Por Lisian Roda

 


Leia mais:

Transição planetária: o futuro da Terra e a nova geração

Pecados capitais na visão do espiritismo

A verdade sobre a “Data Limite”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s