O que é a reencarnação?

A reencarnação é a volta do espírito para uma nova existência corpórea. Estima-se que atualmente em nosso país metade da população acredita na reencarnação (pesquisa de 2017 da USP).

Ela explica a origem dos males da vida e ensina a sermos melhores a cada dia, tendo a certeza de que a vida continua e que cada um responde de acordo com suas ações.

 

Origem da ideia reencarnacionista

Estima-se que a ideia da reencarnação surgiu há pelo menos 2.600 anos, conforme as escrituras sagradas do hinduismo.

O filósofo grego Pitágoras, nascido em 580 a.C., dizia que a alma era imortal, assim, depois da morte do corpo físico ela ocupava outro corpo, às vezes até mesmo o de um animal. Surge assim, a teoria da metempsicose, palavra cuja tradução significa transmigração, que acredita que o espírito possa ora encarnar como ser humano, ora como animal. Teoria que o espiritismo não acredita, orientando que cada ser evolui na sua própria espécie, e para o ser humano reencarnar como animal seria uma involução.

Platão, nascido por volta de 427 a.C., também defendia a ideia da reencarnação, afirmando que a alma nasce muitas vezes, e que dez mil anos seriam suficientes para atingir a perfeição.

Além do espiritismo, são reencarnacionistas as seguintes religiões: umbanda, judaísmo, budismo, hinduismo, etc.

 

Provas da existência da reencarnação

A ciência ainda não conseguiu provar a existência da reencarnação e como ela funciona. Mas a realidade da mesma nos é ensinada pelas palavras de Cristo, pelas comunicações dos espíritos, por relatos mundo afora, e nós a aceitamos movidos pela razão.

A terapia das vidas passadas é mais um forte fator de comprovação da reencarnação, e atualmente alguns estudos de caráter científico têm tentado provar a existência do espírito e de outras vidas.

O renomado e já falecido psiquiatra e cientista canadense Ian Stevenson foi um dos mais importantes pesquisadores sobre a reencarnação, e ficou famoso por pesquisar casos inequívocos de crianças, de até sete anos de idade, que se lembravam frequentemente de terem morrido de forma violenta e como desencarnaram. Em suas pesquisas de campo na África, Alasca, Birmânia, Índia, América do Sul, Líbano e outras localidades, ele registrou mais de 3.000 casos.

O pesquisador quando em vida concedeu uma entrevista em que afirmou: “Hoje em dia qualquer pessoa pode acreditar na reencarnação com base em provas”.

Há variados depoimentos, em diversas partes do planeta, de pessoas que relatam lembranças de situações e locais que não são parte de sua vida atual e que não teriam como saber, muitos dos casos que são confirmados depois de muitas pesquisas.

Desde os dois anos de idade um garoto de Lousiana acordava gritando: o avião está em chamas. Os pais, intrigados, questionavam a criança que revelava dados detalhados de um acidente que sofrera na Segunda Guerra Mundial, além de um surpreendente conhecimento sobre aeronaves. Os pais investigaram e descobriram que, de fato, os dados narrados pelo menino ocorreram exatamente como descrito, incluindo nomes e locais por ele citados.

 

Allan Kardec, o insigne codificador do espiritismo, certa vez proferiu a famosa frase: “nascer, morrer, renascer ainda e progredir sempre, tal é a lei”, e nos deixou um vasto trabalho com casos e explicações sobre a vida, a morte e a vida além da morte.

Existem ainda inúmeros trabalhos que tornam evidente essa realidade.

O consagrado autor Hermínio Miranda nos oferece a imperdível obra intitulada Eu sou Camille Desmoulins, na qual através de várias sessões de regressão no tempo o jornalista Luciano dos Anjos revela sua encarnação na França ao tempo da Revolução Francesa.

O mesmo autor em seu magnífico livro A noviça e o faraó narra a impressionante história de Omn Sety e seu reencontro com a sua paixão do passado, no esplendor da fabulosa civilização egípcia.

O pesquisador João Alberto Fiorini em Reencarnação, uma investigação científica narra a impressionante história de uma menina que desde os sete anos de idade chorava muito porque se lembrava de uma cidade na Europa, Lisboa. Vez ou outra, afirmava que sua mãe não era sua mãe de verdade. Essa menina, quando adulta, formou-se em letras, e ao estudar Castro Alves, por quem nutria verdadeira paixão, viu o retrato da amante portuguesa dele, a poetisa Eugenia Infante de Camara, e sentiu uma emoção muito forte, tendo a impressão de que fora em vida passada a poetisa portuguesa. Levada a uma consulta em um centro espírita, obteve a confirmação de suas suspeitas.  O mais interessante é que quando jovem guardava certa semelhança fisionômica com a autora portuguesa.

Há também, situações que levam nossa razão a crer na existência de vidas anteriores, como inúmeros casos em que pessoas viajam para certos locais pela primeira vez e sentem no íntimo uma grande certeza de que já estiveram lá antes, elas deslocam-se normalmente e sabem até onde ficam certas ruas e monumentos.

Às vezes surgem grandes cantores, tais como a holandesa Amira Willighagen que aos nove anos em 2013 impressionou o público no show de novos talentos na Holanda ao interpretar a canção O mio babbino caro de Puccini. O destaque fica por conta do fato de que ela nunca havia estudado canto e muito menos música. Ou ainda o garoto indiano Lydian Nadashawasram de nove anos encantou o mundo ao apresentar-se tocando brilhantemente as músicas de Chopin sem nunca nesta vida ter estudado piano. São jovens que se costuma chamar de prodígio. Mais lógico é pensar que trazem o aprendizado e o conhecimento adquirido em vida anterior.

 

Qual a diferença entre reencarnação e entre ressurreição?

A ressurreição crê em ressurgir, voltar à vida após a morte no mesmo corpo físico. Já a reencarnação acredita que o espírito é imortal e renasce em uma nova existência, com novo corpo físico.

A ciência mostra que é impossível alguém ressuscitar, pois isso supõe que um corpo já morto, e até decomposto, volte à vida. Assim, não é possível que um espírito volte a animar o mesmo corpo, que morto se desfaz. O espírito é único, por isso, para reencarnar, ele o faz sempre em um novo corpo.

A tradição diz que Jesus ressuscitou Lázaro, que havia morrido. Atendendo ao pedido de sua irmã Marta, o mestre dirigiu-se ao local onde este estava e então esparge sobre o mesmo uma enorme quantidade de fluídos vitais, fazendo com que o mesmo saísse daquele estado de aparente morte e, então, despertasse. Lázaro na verdade sofria de catalepsia, e Jesus sabia disso.

E Jesus quando apareceu alguns dias após a crucificação na verdade foi seu espírito que foi visto pelos seus seguidores, como forma de mostrar a continuação da vida após a morte do corpo físico.

 

Qual a finalidade da reencarnação?

O ciclo de reencarnações tem como objetivo a evolução. Nossa existência na matéria neste planeta atrasado moralmente como é a Terra é um grande desafio, pois evoluir em meio às baixas paixões aqui reinantes é o caminho a ser trilhado por todos.

Ao observarmos a existência de crianças em tenra idade que são portadoras de doenças graves, tais como o câncer, por exemplo, nos levam a imaginar que se não fosse a existência da reencarnação essas enfermidades seriam inexplicáveis pois, do contrário, poderíamos supor que Deus beneficiaria uns em detrimento de outros.

“A reencarnação, que consiste em admitir para o espírito muitas existências sucessivas, é a única que corresponde à ideia que formamos da justiça de Deus para com os homens que se acham em condição moral inferior; a única que pode explicar o futuro e firmar as nossas esperanças, pois que nos oferece os meios de resgatarmos os nossos erros por novas provações.” (Livro dos Espíritos, segunda parte, capítulo IV)

 

Tipos de reencarnação

Podemos classificar a reencarnação em três tipos:

  • reencarnação compulsória: destinada aos espíritos que têm o senso moral muito baixo, são muito apegados à matéria e que possuem uma grande quantidades de vícios, possuindo assim faltas graves, e por todas essas razões, não têm condições de escolher as próprias provas. Neste caso, as entidades que cuidam do processo reencarnatório, os chamados espíritos construtores, intervêm e, assim, o espírito volta à matéria, passando por grandes provações físicas, mentais e econômicas.

A pergunta 262 do Livro dos Espíritos tem com resposta: “Deus pode impor certa existência a um espírito quando este por inferioridade ou má vontade, não está apto a compreender o que lhe seria mais útil. Essa existência é uma expiação para o espírito”.

  • planejada ou proposta: resultante do livre-arbítrio do espírito. Sentindo que necessita retornar à matéria para seu progresso, ele decide que reencarnará com o objetivo de auxiliar entes queridos em sua evolução, conviver com pessoas com as quais têm reajustes, expiar erros do passado e ainda trabalhar no auxílio do semelhante.
  • livre: somente possível a espíritos com alto nível de elevação e pureza, que não tem vícios e débitos a serem quitados. Encarnam com o propósito de fazer a humanidade evoluir, podem ser grandes missionários, filósofos, beneméritos e cientistas.

 

Este assunto é muito vasto e, assim sendo, recomendamos a leitura de alguns livros que poderão acrescentar mais informações sobre a questão:

  • O livro dos espíritos, capítulo VI item V, A escolha das provas; capítulo VII, Retorno à vida corporal
  • Missionários da luz, Reencarnação de Segismundo, capítulos XII, XIII e XIV.

Por Gilson Pereira

Conheça mais sobre a reencarnação na página de nosso site: Dúvidas frequentes.


Saiba mais sobre o espiritismo com os cursos do Ave Cristo. Clique aqui e conheça as opções e os horários.


 

Um comentário em “O que é a reencarnação?”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s