Matéria

Não colocar a candeia debaixo do alqueire

No capítulo XXIV do Evangelho Segundo o Espiritismo temos a parábola proferida por Jesus:

“Ninguém acende uma candeia para pô-la debaixo do alqueire; põe-na, ao contrário, sobre o candeeiro, a fim de que ilumine a todos os que estão na casa.” (S. Mateus, 5:15.)

Para compreender essa passagem, primeiramente é preciso entender o significado das seguintes palavras:

Candeia: do latim, candela. Vela de cera ou um pequeno aparelho de iluminação que se suspende por um prego, o mesmo que lamparina.

Alqueire: do árabe, al kayl. Recipiente, bolsas ou cestos para grãos de cereais, também, unidade de medida de superfície agrária.

Na sequência do Evangelho encontra-se:

“Ninguém, pois, acende uma candeia e a põe debaixo da cama [alqueire]; coloca-a, sim, sobre um candeeiro para que os que entram vejam a luz; porque não há coisa escondida que não haja de ser mostrada, nem escondida que não haja de saber-se pública.” (S. Lucas, 8:16 e 17.)

Aproximando-se, disseram-lhe os discípulos: Por que lhes falas por parábolas? – Respondendo-lhes, disse ele: É porque, a vós outros, foi dado conhecer os mistérios do reino dos céus; mas, a eles, isso não lhes foi dado. (…) Falo-lhes por parábolas, porque, vendo, não vêem e, ouvindo, não escutam e não compreendem.”  (S. Mateus, 13:10 a 15.)

Por que Jesus fala por parábolas?

Perguntado pelos apóstolos, Jesus diz que eles estavam preparados para ouvir os seus ensinamentos, os mistérios do reino dos céus, no entanto o povo, a “eles” como se refere na passagem, não conseguiria entender da mesma forma pois ainda não estava preparado para ouvir e entender os seus ensinamentos de forma direta. As parábolas eram uma forma de perpetuar os ensinamentos e de fazer com que sentissem no coração o que estava sendo dito. Jesus fazia como se faz com as crianças cujas ideias não se encontram ainda desenvolvidas, plantando a semente para a plena compreensão posteriormente.

O que significa colocar a candeia sob o alqueire?

Jesus quis dizer que não se pode revelar tudo de uma vez pois o ensinamento deve ser proporcional à capacidade de compreensão de quem o recebe. Há pessoas para as quais uma luz muito viva pode ofuscar sem esclarecer.

Com os homens acontece o mesmo que acontece com as sociedades: primeiro há a infância, depois a juventude e, por fim, a idade madura. Ao chegar a um grau de desenvolvimento, o próprio homem procura a luz pois a obscuridade lhes pesa. Tem sede de conhecimento e, assim, novas descobertas são feitas.

Por essa razão é que o espiritismo surgiu numa determinada época, pois a humanidade já estava mais receptiva para conhecer os ensinamentos de Jesus sob um novo ângulo e para aceitar a existência e as informações do plano espiritual, por meio de espíritos que falavam abertamente sobre religião, ciência e filosofia, iniciados com a compilação feita por Kardec.

O espiritismo vem por meio das comunicações lançar a luz sobre uma porção de pontos obscuros. No entanto, ainda há muito o que ser revelado pois os espíritos são muito prudentes nos seus ensinos, se ainda não disseram mais não estão colocando a candeia sob a cama, mas porque cada coisa deve vir a seu devido tempo. Dão a cada ideia o tempo de amadurecer e se propagar, antes de apresentarem outra; e aos acontecimentos dão o tempo de preparar-lhes a aceitação.

Outras revelações ainda estão por vir, mas o homem ainda não está suficientemente maduro para recebê-las.

Por fim, esta lição do Evangelho deixa um outro ensinamento: deve-se ter a atenção para não guardar o conhecimento apenas para si.

Quem tem o conhecimento mas não o divulga para poder beneficiar-se, ou que se sinta orgulho de saber mais que o próximo, são atitudes inapropriadas. A luz do conhecimento é importante ser propagada, ajudando os irmãos a se desenvolverem, ou a enxergar o que seus olhos não perceberam por eles próprios.

É o papel dos educadores, dos tutores, da religião.

Não existem mistérios absolutos, e Jesus dizia que não há nada secreto que não deva ser conhecido, tudo o que está oculto será um dia revelado, e que o que o homem ainda não pode compreender sobre a Terra, lhe será progressivamente revelado nos mundos mais adiantados na proporção em que ele se purificar, pois aqui neste planeta ainda se perde no nevoeiro.

Registro das parábolas de Jesus

O Novo Testamento é um registro que retrata a época em que Jesus viveu, suas passagens e seus ensinamentos. Contém quatro diferentes evangelhos escritos cada um por: Mateus e João, discípulos diretos de Jesus; Lucas, médico que residiu na colônia romana de Filipos, local aonde chegou em 52 d.C. acompanhando de Paulo de Tarso, um dos apóstolos de Jesus; e Marcos, que também conviveu com Paulo, mas não diretamente com o mestre.

Passagens da vida de Jesus registradas nesses evangelhos compõe o Evangelho Segundo o Espiritismo, que traz à luz desta doutrina o significado das palavras adotadas pelo mestre.

OBS.: O Velho Testamento retrata a vida dos judeus e de Moisés. Foi escrito muito antes do nascimento de Cristo pelos escribas, sacerdotes, profetas, reis e poetas do povo hebreu.

 

Por Gilson Pereira


Saiba mais sobre o espiritismo com os cursos do Ave Cristo. Clique aqui e conheça as opções e os horários.


 

Um comentário em “Não colocar a candeia debaixo do alqueire”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s